Mentorias De Inteligência Artificial São capazes de Alt

31 Mar 2019 09:47
Tags

Back to list of posts

<h1>Quer Mais Tr&aacute;fego No Blog?</h1>

<p>Um planeta habitado s&oacute; por seres de pele negra, iluminado por seis s&oacute;is batizados com nomes de orix&aacute;s, cuja hist&oacute;ria &eacute; narrada por uma mulher l&eacute;sbica. Estes s&atilde;o alguns dos elementos que o escritor e fil&oacute;sofo baiano Alexey Dodsworth re&uacute;ne no teu segundo livro de fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica, O Esplendor, publicado pela editora Draco. A segunda obra do autor por este g&ecirc;nero vem depois do sucesso de 18 de Escorpi&atilde;o, tua estreia pela fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica, que lhe rendeu o pr&ecirc;mio Argos 2015 e teve a primeira edi&ccedil;&atilde;o esgotada.</p>

<p>Na atualidade morando em S&atilde;o Paulo, onde estuda Astronomia e cursa doutorado em Filosofia, Dodsworth se prepara para a estreia oficial do livro em eventos no dia 27 de agosto, no Rio de Janeiro, e dois de setembro, em S&atilde;o Paulo. Antes disso, o escritor bateu um papo com A TARDE e comentou a respeito da mistura inusitada de fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica e mitologia iorub&aacute;, e tamb&eacute;m encostar outros aspectos do g&ecirc;nero. O Esplendor &eacute; o seu segundo livro de fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica.</p>

<ul>

<li>4&ordm;) Mestrado de Ci&ecirc;ncia em Observa&ccedil;&atilde;o de Neg&oacute;cios - Faculdade de Corre&ccedil;&atilde;o: Serra Quer Variar Maneira De Reajustar Professor </li>

<li>Institui&ccedil;&atilde;o de Economia de Londres - Inglaterra</li>

<li>3 Possibilidades de campanha</li>

<li>2&ordm; ano: gera&ccedil;&atilde;o generalista pr&aacute;tica, com est&aacute;gio de 4 meses ao encerramento do ano</li>

<li>Institui&ccedil;&atilde;o Federal do Rio Vasto do Sul (UFRGS)</li>

<li>O come&ccedil;o de tudo</li>

[[image http://noticias.universia.es/net/images/educacion/s/se/ser/serie-de-cursos-online.png&quot;/&gt;

<li>dois N&uacute;cleos de Procura e Extens&atilde;o 2.1 NURC - Projeto Norma Urbana Culta</li>

</ul>

<p>Responda sobre a sua liga&ccedil;&atilde;o com este g&ecirc;nero. Eu a todo o momento li muito, desde que era adolescente, em Salvador. A IMPORT&Acirc;NCIA DA Busca DE CLIMA ORGANIZACIONAL COMO FERRAMENTA DE RELA&Ccedil;&Otilde;ES P&Uacute;BLICAS 80 eu garimpava livros de fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica. Eu agora gostava do conte&uacute;do. Em tal grau que em 2009 eu entrei no curso de Astronomia da USP. E foi a partir nesse estudo que disparou em mim a vontade de escrever fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica.</p>

<p>Visto que eu comecei a me deparar com coisas que eu dizia: 'nossa, isso existe? E eram coisas t&atilde;o bizarras e desconhecidas, entretanto que s&atilde;o realidades cient&iacute;ficas, e eu comecei a us&aacute;-las pra escrever os livros. Como, a t&iacute;tulo de exemplo, quase ningu&eacute;m sabe que quem descobriu uma g&ecirc;mea perfeita do nosso sol foi um astr&ocirc;nomo carioca. E eu trato disso em 18 de Escorpi&atilde;o, que &eacute; exatamente o nome desta estrela descoberta.</p>

<p>E o que te levou a escolher elementos do candombl&eacute; e da cultura afro para compor essa nova hist&oacute;ria? Uma coisa que sempre me incomodou quando eu lia fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica ou literatura &oacute;tima brasileira, em geral, &eacute; que a maioria usa elementos da cultura greco-romana e ambienta seus livros nos Estados unidos e na Inglaterra. E eu imagino: 'por&eacute;m por que uma pessoa escreve a respeito uma realidade onde, v&aacute;rias vezes, ela nem pisou os p&eacute;s? Eu imagino que preciso digitar a come&ccedil;ar por uma realidade que eu conhe&ccedil;a, aproveitando elementos de nossa cultura. Eu nasci em Salvador e convivi com essa cultura durante 30 anos da minha exist&ecirc;ncia.</p>

<p>Desse jeito eu acho que estava na hora de fazer uma homenagem &agrave; cultura afro, que &eacute; t&atilde;o presente na cidade. Desta maneira acaba sendo uma homenagem &agrave; Bahia tamb&eacute;m? Sim, &eacute; uma homenagem &agrave; Bahia. Sou de Salvador, apesar de meu nome ser absolutamente estranho. ]. Vivi a minha vida quase toda a&iacute;. → Estrat&eacute;gia Concursos &eacute; &oacute;timo? minha fam&iacute;lia &eacute; estrangeira. Eu descendo de italianos e escoceses.</p>

<p>No entanto ela imigrou pra Bahia no in&iacute;cio do s&eacute;culo 20. Eu s&oacute; vim pra S&atilde;o Paulo com trinta e dois anos. Desta forma de imediato eu encontrei que deveria mencionar uma hist&oacute;ria com elementos que executam divis&atilde;o desta cultura, n&atilde;o por um dever ou atribui&ccedil;&atilde;o, entretanto por serem coisas que eu conhe&ccedil;o e que s&atilde;o minhas fontes. Faculdade Federal Fluminense , onde todos s&atilde;o negros.</p>

<p>Foi uma forma de completar a car&ecirc;ncia de protagonistas de etnia negra nas obras de fic&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica? No in&iacute;cio, eu neste instante sabia que todos os personagens seriam negros, entretanto, no tempo em que eu fazia o livro, n&atilde;o era nem j&aacute; que eu achava que precisava ter notabilidade negra. Era mais pelo motivo de o universo tinha seis s&oacute;is e eu achava cientificamente incorreto um territ&oacute;rio portanto com pessoas de pele branca.</p>

<p>Todavia depois eu me toquei que era o meu inconsciente trabalhando. Eu queria que o universo tivesse seis s&oacute;is para que as pessoas fossem negras. ]. Foi da&iacute; que veio todo o vontade de digitar um livro com essa tem&aacute;tica e caracter&iacute;sticas. Isto foge do padr&atilde;o habitual de constru&ccedil;&atilde;o de protagonistas nas fic&ccedil;&otilde;es cient&iacute;ficas, correto? Foi bem como o que me levou a fazer isto.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License